Christiano Cavalcante fala sobre a estreia do Sexta, Cervas e Rock And Roll

 

 

Nesta sexta tem a estreia do projeto que promete agitar a cena Rock And Roll na ilha, o “Sexta, Cervas e Rock And Roll”, inspirado no movimento rock dos anos 70.

O projeto tem a assinatura de Christiano Cavalcante, artista da cena local que consegue reunir vários segmentos da cena local, e que fará a ponte para a participação de artistas de toda a ilha.

As apresentações terão um formato especial e mais intimista, mas ao mesmo tempo, inovador e desafiador, com apresentações de músicas autorais, versões de clássicos do Rock And Roll e executadas com novos formatos de instrumentos.

Batemos um papo com Christiano, que conta um pouco da sua carreira e como será este novo projeto.

 

Fanzine: Chris, você já tem um nome reconhecido na cena de São Luis há alguns anos e tem uma grande legião de amigos e admiradores, mas gostaríamos que você mesmo nos falasse sobre sua experiência e história na vida musical.

Christiano Cavalcante: Bom, meu início na música foi sanguíneo. Minha mãe era musicista e poetisa. Infelizmente se foi muito cedo, mas desde pequeno pegava o violão antigo dela para dedilhar meus primeiros acordes. Comecei a tocar violão de verdade aos 13 anos e a partir daí o meu relacionamento com a música ficou mais forte. Logo aos 15 anos comecei a tocar em alguns bares de São Luís com o apadrinhamento do grande Wilson Zara.
Ingressei em 2015 na Escola de Musica Villa-lobos (RJ) onde fortifiquei meu conhecimento musical com um grande embasamento teórico, além de conhecer muitas referências musicais com os mestres que lá lecionavam e costumavam conversar no café que ficava no terraço do prédio
Em 2011 eu já havia entrado na Dark Floyd, e em 2012 fizemos nosso primeiro show tributo ao Pink Floyd no antigo Circo da Cidade. Tocamos o álbum Dark Side of the Moon na íntegra, o que era algo nunca feito antes na ilha. Graças ao nosso suor, trabalho e amor à música, viramos referência como banda tributo do Pink Floyd em todo o Maranhão. Muitas pessoas do interior vinham pros shows em São Luís pelo amor pelo Pink Floyd e por realmente apreciar o nosso trabalho, que sempre foi feito com muito amor e profissionalismo. Isso sem dúvida traz muita felicidade, porém nos últimos anos preferi dar prioridade à vida acadêmica. Faço Licenciatura em Música na UEMA e a partir disso comecei a lecionar em algumas escolas e fazer projetos de extensão como o PIBID. O amor pelo ensino da música é frequente desde então, hoje sou regente e professor de canto do Coral do Núcleo de Arte e Educação do Teatro Azevedo e dou oficinas em diversas escolas.
Hoje estou voltando com mais força ainda aos palcos, com minhas músicas autorais e um álbum já em pré produção. É um momento de muita realização para mim.

 

Fanzine: Uma história verdadeira de amor à música. A Fanzine tem muito orgulho em contar com você nesse novo projeto. E falando nisso, como surgiu a ideia do Sexta, Cervas e Rock And Roll?

Christiano Cavalcante: Ocorreu naturalmente, fizemos um show magnífico aqui na Fanzine (com a Dark Floyd), a casa lotou, as pessoas se emocionaram… foi um dia marcante demais.
E desde antes disso, já era um assíduo frequentador da casa, afinal não é todo o lugar que podemos beber, ouvir música de boa qualidade, e se sentir tão à vontade quanto na Fanzine. Então surgiu a ideia de transformar a sexta em algo bem singular, explorando a veia artística que temos em nosso estado para criar um movimento de resistência. O rock desde o início foi um movimento de resistência social e política, uma forma de expressão pura e de paz. Então a ideia é ressuscitar esse movimento “hippie” dos anos sessenta em que o rock foi criado. Logo, o formato de palco livre, convidados especiais e exposições artísticas de jovens talentos da arte visual maranhense vieram de imediato na minha cabeça. Então não há nada melhor que você beber uma boa cerveja, ouvir o melhor do rock clássico e da música popular junto às músicas autorais de músicos talentosíssimos da ilha e ainda poder contemplar quadros, desenhos e outras formas artísticas… tudo num só lugar!
Fanzine: Então, quais são as participações especiais e o que esperar do clima da estreia nesta sexta?
Christiano Cavalcante: Alguns músicos maranhenses da velha e nova geração estarão presentes! Duos, trios, quartetos… opa! Não posso falar muito (haha). Mas haverá a presença de peso do bass jazz da Sandra Nisseli, monstros do rock como o grande Pablo Barros, o instrumentista de longa data Fernando Japona e muitos outros estarão presentes já nessa sexta!
Sem dúvida podemos esperar uma sexta diferente das de costume. A interação artística junto ao conforto que a Fanzine traz fará com que esse projeto de sexta feira se torne uma verdadeira identidade cultural de São Luís. Afinal, a Fanzine é localizada no centro histórico de São Luís, o coração da cidade. E esse coração bate forte!

Aproveito pra convidar a todos, vai ser algo feito com o coração e que tenho certeza que vai ser lindo!

 

 

Nossos parceiros