Repertório engajado marca novo trabalho solo de Da Ghama, ex-Cidade Negra

Desde os tempos em que era integrante da banda Cidade Negra, as composições do guitarrista Da Ghama abordavam questões sociais. Agora, tocando carreira solo, o cantor e músico encontrou inspiração em uma ação da Organização das Nações Unidas (ONU) para contextualizar o segundo CD, o BaixaÁfrikaBrasil.

Neste viés, a combinação consciente e comprometida no trabalho musical ainda teve mais um elemento. Da Ghama é fã das participações especiais e não disfarça a sua predileção por dividir o estúdio e o palco com a legião de amigos que conquistou durante as turnês como integrante do famoso grupo de reggae pelo Brasil e exterior. O BaixÁfrika nasce em tom de diversidade e troca com grandes ícones da música. O show de lançamento da turnê nacional, no Rival BR, vai contar com nada menos que oito cantores renomados dividindo o palco com Da Ghama: Sandra de Sá, Lanna Rodrigues, Serjão Loroza, Ras Bernardo, Celso Morette, Dida Nascimento, Gil Soul, DJ Tekko Rasta (Afroreggae).

Na nova fase artística, após uma estrada de 20 anos na marcante guitarra do Cidade Negra, Da Ghama apresenta composições inéditas e outras pinçadas do baú. As letras das canções continuam pulsantes como sempre, carregadas pelas mensagens fortes, verdadeiras e otimistas, que refletem a personalidade do compositor que atravessou a juventude escrevendo para a banda Lumiar, antecessora do Cidade Negra.

Nas parcerias, Da Ghama não economizou nos nomes consagrados: Fauzi Beydoun (Tribo de Jah), Edson Gomes, Serginho Meriti, Vell Rangel, Zé Rodrigues, Dida Nascimento (Negril) e outros. A lendária “Falar a Verdade” é uma das maiores heranças da primeira formação do Cidade Negra, composta por Da Ghama, Bino Farias, Lazão e Ras Bernardo.

Da Ghama despontou em Belford Roxo, um dos bairros considerados mais violentos da Baixada. A rotina dele não era diferente dos moradores de uma cidade dormitório, tinha que levantar de madrugada para garantir o sustento da sua família. No entanto, o sonho de ingressar no mercado musical aliado ao espírito empreendedor levou Da Ghama a formar uma das bandas de maior sucesso na década de 1990, com milhões de cópias vendidas em todo o planeta. Rendeu 20 anos de sucesso, mas como diz uma de suas letras — “entre o céu e o firmamento não há ressentimento / cada um ocupando o seu lugar” –, Da Ghama saiu em busca de novos horizontes e agora chega em são Luís para lançar na Jamaica Brasileira esse novo trabalho e ainda vai dividir o palco da Fanzine com Fauzy Beydoun, numa super jam session.

 

Nossos parceiros